Ex-chefe da Ciretran de Aripuanã é preso sob acusação de fraude em documentos de veículos

Crimes teriam sido cometidos ao longo do ano de 2016, em Aripuanã. Ex-chefe da unidade pediu demissão do cargo no dia 12 deste mês, após ser interrogado pela polícia.

Ex-chefe da Ciretran de Aripuanã foi preso na quarta-feira (28), durante ação da Polícia Civil (Foto: Gcom-MT).

O ex-chefe da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Aripuanã, a 976 km de Cuiabá, foi preso na quarta-feira (28), suspeito de liberar veículos e documentos de veículos para terceiros, sem que fosse apresentada procuração do proprietário, e de alterar a data de recebimento quando um veículo era apreendido, inserindo informações falsas no sistema, a fim de favorecer o dono do veículo.

Ele deve responder pelos crimes de adulteração de sinais identificadores de veículos, inserção de dados falsos no sistema de informações, corrupção passiva, condescendência criminosa e associação criminosa. A reportagem não localizou a defesa do ex-funcionário.

Segundo o delegado Alexandre da Silva Nazareth, que conduziu o caso, o chefe da Ciretran confessou as práticas criminosas, mas afirmou que agia de forma a ajudar pessoas próximas e quem precisava dos procedimentos e não tinha condições financeiras.

De acordo com a Polícia Civil, o ex-chefe da Ciretran, que não é servidor de carreira, foi preso na casa dele. Os crimes teriam sido praticados ao longo do ano de 2016 e o suspeito pediu demissão do cargo no dia 12 de junho, dias após ser interrogado sobre os fatos.

As investigações tiveram início há seis meses e o inquérito já foi concluído e enviado à Justiça. Além do ex-chefe da unidade, outros três servidores também foram indiciados pela polícia e devem responder pelos mesmos crimes. Nesta semana, a Justiça deferiu os pedidos de prisão preventiva do funcionário e de busca e apreensão a serem cumpridos na residência e no gabinete do suspeito

O inquérito apontou que os delitos seriam praticados pelos três servidores investigados, com o conhecimento e a anuência do chefe da Ciretran. Segundo a Polícia Civil, um dos servidores envolvidos, com a conivência do chefe, realizava vistoria em veículos fora da unidade do Ciretran, cobrando uma taxa no valor de R$ 100, o que não é autorizado pelo órgão.

De acordo com a Polícia Civil, Em buscas na Ciretran, os policiais apreenderam no gabinete da chefia 25 caixas de arquivos que continham procedimentos de liberação de veículos e documentos de veículos, que serão analisados.

FONTE: 

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, músico, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Deixe aqui seu comentário!

%d bloggers like this: