Página Inicial / Notícias do Estado / Policial que registrou ocorrência sobre corno de Cáceres pode ser “advertido” pela corregedoria

Policial que registrou ocorrência sobre corno de Cáceres pode ser “advertido” pela corregedoria

Um morador de 50 anos, que alegou não aguentar mais ser traído pela mulher em Cáceres, a 220 km de Cuiabá, foi procurado, porém, não foi encontrado por policiais civis nessa quarta-feira (19).

A Polícia Civil disse que alguns policiais o procuraram, no entanto, não foi localizado.

 

No início da semana ele procurou a delegacia e registrou um boletim de ocorrência contra a mulher, dizendo que não suportava mais ‘tomar chifre’.

Ele era esperado na delegacia para se explicar sobre o caso e não apareceu. Assim como o marido, a mulher não foi encontrada.

LEIA ESTA: Morador de Cáceres se cansa de ser traído pela mulher e registra B.O.

A Polícia Civil reafirmou nesta quinta-feira (20) que as declarações do boletim de ocorrência são de responsabilidade do morador, que inclusive assinou o documento.

O boletim de ocorrência foi feito com termos chulos e palavras grosseiras em relação ao suposto comportamento da mulher dele. O morador pontua que presenciou diversas traições, inclusive presenciou algumas delas.

“(…) o comunicante [marido] não aguenta mais tomar chifre na cabeça e ver sua morena (…) com outros homens na rua e por isso veio até a delegacia para registrar o boletim de ocorrência”, diz o BO.

O próprio marido se diz ‘corno’ e pediu ajuda da polícia para não ter mais problemas com a ‘morena’.

Segundo a Polícia Civil, a ocorrência foi registrada como ‘atípica de natureza diversa’, por não ser configurado crime o fato que foi descrito. Por isso, não há abertura de investigação.

Ainda conforme a polícia, a mulher, caso se sinta ofendida, poderá representar criminalmente contra o companheiro, para que seja aberto inquérito policial no âmbito da Lei Maria da Penha e de crimes de difamação e injúria.

A instituição também informou que os termos ofensivos e grosseiros utilizados na narrativa do boletim de ocorrência não são usuais e muito menos aceitos em documentos públicos.

A Corregedoria da Polícia Civil analisa a adoção de alguma advertência ao policial que confeccionou o boletim.

FONTE:  

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook ou Whatsapp!

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, músico, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Projeto de R$ 1 bi obtém licença prévia e pode gerar mais de 1.500 postos de trabalho

Compartilhar com WhatsApp A Nexa Resources (ex-Votorantim Metais) obteve a licença prévia/LP, expedida pela Secretaria …

Deixe aqui seu comentário!

%d bloggers like this: