Página Inicial / Brasil / Ministro da Fazenda ameaça aumentar outros impostos se a justiça barrar PIS/COFINS

Ministro da Fazenda ameaça aumentar outros impostos se a justiça barrar PIS/COFINS

Preocupado com o rombo nas contas federais, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta terça-feira (25/7) que o governo poderá aumentar outro tributo se for mantida a decisão da Justiça Federal do Distrito Federal de barrar o aumento da alíquota de PIS/Cofins sobre combustíveis.

O ministro da Fazenda reiterou que o governo vai recorrer contra a sentença e que a alta do PIS/Cofins foi a escolha “mais eficiente” do que a de outros tributos.

 

O ministério afirma que a suspensão do decreto representa prejuízo diário de mais de R$ 78 milhões. Sem a receita garantida pelo aumento do imposto, o governo argumenta que vários programas serão afetados nas áreas da Saúde, Segurança e até o Bolsa Família.

Meirelles afirmou que as decisões da Justiça devem ser respeitadas “rigorosamente”. Porém, disse acreditar que o governo será capaz de reverter a sentença.

“Caso isso (governo perder o recurso) aconteça, estaremos pensando em outra forma de tributo”, garantiu.

De acordo com o ministro, a interpretação tanto da Advocacia-Geral da União (AGU) quanto da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional é de que o aumento desse tipo de alíquota pode ser feito por decreto presidencial.

Ele explicou ainda que a implementação da medida não precisa de um prazo de 90 dias para entrar em vigor. Os argumentos, segundo ele, seriam suficientes para derrubar a liminar.

A suspensão foi determinada nesta terça pelo juiz Renato Borelli, da 20ª Vara Federal no Distrito Federal, a partir da motivação de uma ação popular protocolada por um cidadão. Para o magistrado, o reajuste deveria ter entrado em vigor em 90 dias e não poderia ter sido aprovado por meio de um decreto presidencial, mas por lei ordinária.

A previsão do governo era arrecadar mais R$ 10,4 bilhões com o aumento do PIS/Cofins sobre os combustíveis, de modo a conseguir cumprir a meta fiscal de déficit primário de R$ 139 bilhões para este ano.

Fonte: metropoles.com

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook ou Whatsapp!

Publicado por » Danny Bueno

Especializado em Jornalismo Político e Investigativo. Está radicado nos Estados de Mato Grosso e Rondônia, construiu a carreira trabalhando para sites, jornais e emissoras de TV de Mato Grosso e Rondônia. É assessor de imprensa, é roteirista, músico, produtor de eventos, compositor, editor de conteúdo, relações públicas, analista político e de marketing social. É filiado à ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. (http://portaldosjornalistas.com.br/jornalista/danny-bueno)

Que tal ler esta?

Prefeita em exercício quer deixar marco de sua administração

Compartilhar com WhatsApp Carlos Alberto de Lima/Assessoria Prefeitura Municipal A prefeita em exercício Marinéia Munhoz …

Deixe aqui seu comentário!

%d bloggers like this: