Página Inicial / Notícias do Estado / Ministro defende construção de mais presídios para combater criminalidade

Ministro defende construção de mais presídios para combater criminalidade

O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, defendeu hoje (1º) a construção de mais presídios para o combate à criminalidade e à impunidade. Segundo o ministro, o número de presos no Brasil  é pequeno, se forem levados em conta o contexto e a população do país, principalmente quando se considera o número de condenados pela Justiça cumprindo pena fora das prisões. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, o Brasil tinha 207,7 milhões de habitantes. “Veja a proporção entre o número de presos em relação à população total. Há cerca de 700 mil presos [729 mil, segundo dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) de junho de 2016]. Destes, em torno de 309 mil estão presos em regime fechado. O restante está em regime domiciliar; semi-aberto… É pouco. Não é nada”, disse Terra, ao participar, em Brasília, da reunião do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas, durante a qual foi aprovada uma resolução sugerindo mudanças na Política Nacional Sobre Drogas.

Citando os exemplos de outros países e da cidade norte-americana de Nova York que, apostaram na política de tolerância zero contra todo tipo de crime, incluindo os de menor potencial ofensivo, aumentando o rigor das leis, incluindo as de combate às drogas, Terra destacou a impunidade como um dos fatores que favorecem a criminalidade.

“O que tem é pouco presídio no Brasil. E este é o problema do Brasil: tem pouco presídio. Precisamos de uma rede mínima de presídios, como precisamos ter uma rede mínima de hospitais e em outras áreas, porque há demanda. A causa da violência no país é a impunidade”, afirmou o ministro. Não há invenção, disse Terra. “É preciso ter rigor em questões que afetam a vida de todos. Na epidemia de drogas que estamos vivendo, precisamos tirar os traficantes das ruas. E depois fechamos [as unidades prisionais] porque, se acabarmos com a epidemia, teremos menos necessidade de presídios.”

De acordo com o Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) divulgado em dezembro do ano passado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, o total de pessoas presas no Brasil chegava a 726.712 pessoas em junho de 2016, quando o sistema carcerário dispunha de 368.049 vagas.

Além disso, em 2016, cerca de 40% da população carcerária era composta por presos provisórios, ou seja, ainda não condenados pela Justiça. Segundo o levantamento, 89% da população prisional ocupa unidades superlotadas: 78% dos estabelecimentos penais brasileiros enfrentam o problema da superlotação. Comparando-se os dados de dezembro de 2014, quando o total de presos era de 622.202 pessoas, o déficit de vagas passou de 250.318 para 358.663 em apenas um ano e meio.

O Brasil é o terceiro país com maior número de pessoas presas, atrás de Estados Unidos e China. O quarto país é a Rússia. A taxa de presos para cada 100 mil habitantes subiu para 352,6 indivíduos em junho de 2016. Em 2014, era de 306,22 pessoas presas para cada 100 mil habitantes.

Advogado contesta

Advogado, doutor em ciências penais e ex-membro do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, Leonardo Yarochewsky rebateu a fala do ministro. “É preciso rever toda esta política, inclusive a política equivocada de combate às drogas. Drogas são uma questão de saúde pública e prisão nunca foi a solução para a questão da segurança pública. A prisão não regenera e não ressocializa. Ela somente avilta o ser humano”, afirmou Yarochewsky. Ele disse que, se prender mais fosse sinônimo de menor criminalidade, o país estaria resolvendo seus problemas e não, ao contrário, vendo que a população carcerária brasileira continua crescendo. “É necessário não só acabar com essa curva crescente, como mudar o mito de que um país onde milhares de pessoas estão presas sem condenação definitiva é um país de impunidade. É preciso conhecer a realidade do direito penal e da criminalidade para encontrar soluções reais para as mazelas do sistema”, declarou Yarochewsky.



___________________________________________
LINK DA NOTÍCIA:Ministro defende construção de mais presídios para combater criminalidade
FONTE: CENÁRIO MATO GROSSO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

SEJA UM REPÓRTER CIDADÃO

Vários vídeos, matérias e denúncias são enviados diariamente a nossa redação pelos leitores do MATO GROSSO AO VIVO.

Se a imprensa de seu município ou Estado não noticia reportagens sobre corrupção, envolvimento de pessoas ou autoridades em crimes, abusos ou de qualquer outra natureza que seja de interesse público?

Mande sua pauta que nós publicamos!

Pode ser pelo e-mail: matogrossoaovivo@gmail.com ou pelo WhatsApp da Redação: (66) 9.8412 – 5210.

Envie fatos com imagens, comprovação, documentos, processos, que a gente apura e publica.


GIRO SOCIAL | MATO GROSSO AO VIVO



ALAMBIQUE (31/09) - REPLAY - Festa Flash Back




Deixe seu comentário abaixo e compartilhe, via Facebook e WhatsApp

Publicado por » REDAÇÃO DO SITE

Nossa equipe de jornalistas atualiza diariamente um resumo das principais notícias de Alta Floresta e região, de Mato Grosso, do Brasil e do mundo, para manter nosso leitores sempre bem informados.

Que tal ler esta?

Santa Cruz-PE vence o Atlético-AC no Arruda

Compartilhar com WhatsApp O Santa Cruz alcançou a primeira vitória na Série C. No encerramento …

Deixe aqui seu comentário!

%d bloggers like this: